DICA DO DIA

Antes de tudo: Fora Temer!

sábado, 19 de dezembro de 2009

O dia em que a Terra não mudou e "O dia em que a Terra parou"

No mesmo dia em que os jornais do Mundo todo anunciam o frustrante término sem definições do encontro mundial do meio ambiente, um canal da TV à cabo transmite o filme "O dia em que a Terra parou".
Eu nunca tinha assistido. É com o Keanu Reeves e aquela atriz de sobranchelhas escuras que fez a versão ruim de Hulk. Nem idéia do nome dela...
A trama é sobre o momento chocante em que a Terra é "invadida" por seres evoluídos de outro planeta que chegam aqui com uma missão: eliminar a raça humana, dando assim, alguma chance de sobrevivência ao planeta.
Keanu Reeves faz o alienígena gato que, apesar do coração mole, justifica o atentado à humanidade dizendo que "já nos foram dadas muitas chances de corrigir nossos erros", que "por anos e anos ignoramos a gravidade da situação catastrófica" e que, "se o Mundo continuar sob responsabilidade da nossa espécie, nós o destruiremos". É mais ou menos assim: se os humanos vivem, a Terra morre e com ela toda a rara variedade da vida existente aqui; se os humanos morrem, a Terra vive e pode ser aproveitada por outros seres da galáxia.
...
...
Foi inevitável à associação com a capa do Jornal de hoje.
...
Parei...pensei...quase me achei ridícula por estar levando tão à sério um filme cheio de efeitos especiais que nem sequer fez sucesso... Aí acabei achando que isso gerava uma discussão muito apropriada.
Quando comecei a estudar cinema e trabalhar no mercado audiovisual, me questionei diversas vezes se eu devia ter a obrigação de usar o meu trabalho, sendo ele um meio de comunicação, para passar mensagens importantes à massa. Não é do meu feitio escrever roteiros polêmicos, não costumo abordar questões políticas, sociais...gosto mesmo dos assuntos leves, comportamentais, romance, amor...comédia...(aqueles filmes que não mudam a sua vida, a não ser que você seja um apaixonado perdido procurando conselhos sobre o terceiro encontro...) Isso me gerou certa crise por um tempo, mas passou quando entendi que divertir, entreter e ajudar corações partidos também contribuem para uma humanidade mais feliz. Além disso, pensei na época, sempre teremos os cineastas cabeçudos, o cinema italiano, o francês, os documentaristas... Gente de discurso difícil e muita fome de reflexão!
Os americanos não estavam nessa leva! Em especial, os filmes de efeitos especiais. Filmes sobre extraterrestres então, nem pensar! Estes, pensava eu, iam às telas de cinema para fazer a gente se distrair, pensar em coisas impossíveis e com isso até, quem sabe, esquecer a grave situação em que vivemos.
Aí hoje, tudo mudou!
Ora...Não estavam eles, os americanos, justamente o Keanu Reeves e a namorada do Hulk, falando do assunto mais importante do momento? Ou eu estava enganada?
Aí fui pesquisar de que ano era o filme e vejam só que surpresa: é uma adaptação do original "The day the earth stood still" de 1951.
Caramba! E eu que pensei que se o filme fosse de 2005, 2006, iria me dar motivo suficiente para dizer algo como "Até os filmes de Hollywood falam disso e a gente não acorda!!!"...
Fiquei pensando então em quantos outros vários filmes, americanos, russos ou japoneses, falaram do risco de seguirmos com o nosso modo de vida. E quantas capas de revistas já estamparam essa crise. Quantos livros já foram lançados. Quantos debates ocorreram antes desse Mundial em Copenhague...
Os caras saíram de lá agora sem NADA! Nenhuma grande decisão, nenhum acordo definitivo, nada muito promissor. E nós, ficamos aqui, lendo jornais, assistindo os filmes, papeando nas rodas de chopp, só criticando a completa falta de atitude, de coragem, ou mais ainda, o enorme EGOÍSMO de toda uma cúpula que só quer ajudar se isso não ferir o seu patrimônio.
É tudo verdade. Mas e nós?
Somos muito diferentes?
Quem de nós recicla o lixo, e só compra produtos de instituições com preocupação ambiental, ou nao usa sacola plástica nas lixeiras? Quem de nós pega carona para diminuir os poluentes no ar?
Algum de nós parou de comer carne porque a criação de gado é a segunda maior fonte no país de gases que provocam o aquecimento global?
Alguém pretende aderir ao transporte público, seja ele o caos que for, ou toparia pagar uma nova taxa federal, se ela fosse destinada aos países em desenvolvimento?
Não mudamos nossos hábitos.
E a razão pela qual não fazemos é o egoísmo. O mesmo egoísmo presente na CPO-15.
Sou uma de vocês!
Também não mudo, e reclamo da política, choro me perguntando se meus filhos irão viver por muitos anos, fico P. da vida depois de um vexame como esse da Dinamarca e encho a boca pra falar "Ninguém faz nada!!!" Mas tá na hora de pensarmos que "ninguém" inclui a gente.

Aqui vão algumas sugestões de como ajudar e links interessantes sobre o assunto. Informe-se. Estou fazendo o mesmo.

- certifique-se de que seu carro está com o motor regulado - isto permitirá que ele funcione com maior eficiência e gere menos gases nocivos. Se for possível compre um carro com motor á álcool.

- caminhe, ande de bicicleta quando puder ou use o transporte coletivo/carona - dirigir o carro gera mais gases estufa do que praticamente qualquer outra coisa que se faça. Quantos menos carros na rua, melhor.

- recicle! O lixo que não é reciclado acaba em um aterro, gerando metano; além disso, produtos reciclados requerem menos energia para ser produzidos do que produtos feitos do zero. Se seu prédio não possui coleta seletiva, brigue por ela.

- plante árvores e outras plantas onde puder - as plantas tiram o CO2 do ar e liberam oxigênio. Mesmo em apartamentos, plantas de varanda, de sala, cumprem seu papel.

- Não queime o lixo - isto lança CO2 e hidrocarbonetos para a atmosfera.

- Junte-se ao Greenpeace. Uma das mais antigas instituições para preservação do meio ambiente, já canta a pedra do aquecimento global há um tempão.
https://junte-se-ao-greenpeace.org.br/?ref=adwords_ficha

- Se tiver oportunidade, opte pela energia solar.

- Cobre, de forma ativa, um postura adequada do governo em relação às questões ambientais.

- Aprenda mais sobre o assunto. http://ambiente.hsw.uol.com.br/aquecimento-global.htm

É importante!

Um comentário:

  1. Fala, Alice... primeira vez comentando. Eu também me questiono sobre isso. E na hora de inscrever um roteiro em um concurso sobre "assuntos mais sérios" vi também que só tinha um... E que era reflexivo, mas não tão na cara. Também fico com a sensação de que a eu poderia ser mais útil. E como estou longe do mercado, o meu maior questionamento hoje é mesmo existencial. Aquele "qual a minha função nesse mundo?" Ando participando menos de ações reais que possam mudar alguma coisa e vejo que é um ciclo vicioso de indiferença e inércia. A gente se sente mal, mas não consegue sair do lugar. Enfim... Quanto ao meio ambiente, a questão já é antiga mesmo. Lembro como o PV era o "ridicularizado" antigamente (hoje ainda rola preconceito). Mas a cada dia eles se tornam mais atuais e necessários. Deixam de ser os hippies maconheiros, e se tornam os únicos com alguma ideologia. E a mais nobre... E lembro, quando era pequeno, de diversas campanhas, mas que sempre vinham num tom "viva a natureza"... Colorido e até meio bobo. Mas, já era uma tentativa de conscientização. A gente não aprendeu o suficiente... Mas acho que as crianças de hoje já começam a ter uma educação ambiental propriamente dita. Enfim... Embora já muito desacreditado do ser humano, acredito que ainda há esperança.

    ResponderExcluir