DICA DO DIA

Antes de tudo: Fora Temer!

domingo, 6 de dezembro de 2015

Nunca foi uma capa!

Sempre foi um vestido! Nunca foi uma capa. E é um vestido lindo, de saia armada, digno de princesa.
Que saco essa obrigação da mulher moderna em ser super mulher!
Ser mulher já basta. A gente amadurece antes, menstrua, ganha corpo, fazemos milhões de coisas ao mesmo tempo, engravidamos, damos a luz, amamentamos, damos colo, cuidamos da casa, das compras, da comida, do marido...
Já não basta?
Por que essa obsessão em sermos as melhores profissionais, as mais capazes, a provedora do lar?
Quem inventou o feminismo certamente não tinha filho, não administrava uma casa sozinha, não equilibrava doze bolas em vez de quatro.
Pra mim sempre foi um vestido e sempre será. Uso a capa só quando eu quero. Usarei quantas vezes achar que preciso.
assinado: uma super mulher que às vezes sente falta de dançar valsa, comer sorvete, rodopiar na sala, dormir no domingo, fazer brigadeiro e usar vestido!

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

VIDA BANDIDA

Eu não sou muito amiga do futuro. Nunca fui boa em fazer planos com ele, nunca falamos a mesma língua. Venho sendo surpreendida há 33 anos. Penso que as coisas irão por um caminho e acabo seguindo em outra direção.
Gente que não tem boa relação com o futuro não costuma ter vida amorosa das mais poéticas. Sou dessas. Dona de vida bandida.
Hoje um amigo que me conhece como poucos me perguntou se eu achava que ficaria pra sempre solteira. Eu ri. Não sei, honestamente. Sou talvez uma das pessoas menos solteiras que conheço. Já tive dois casamentos, não sou de ficar só, me envolvo em velocidade assustadora, arraso quarteirão, monto barraca, faço família. Mas a primavera passa e os ventos me carregam. Sou tantas Alices. Não consigo ser uma só.
Hoje a noite me engoliu assim que chegou. Me carregou num cafuné pra cama, me deixou pensativa, quase triste.  E eu não sou de agarrar tristeza. Ela e o mau humor são das coisas mais chatas num ser humano. Prefiro não ter. Se tenho, nego. As vezes dói, corrói, assola. Não é o caso dessa noite. To legal. Só um pouco sem sal.
Detesto pensar no futuro. Coisa chata é antecipar problema. O agora é sempre certeiro. É ou não é. Bom ou ruim. Real ou impossível.
Se serei para sempre solteira?
Não sei, amigo meu. Serei para sempre eu mesma. Dona de muitas damas, fêmea de muita fama, diva de muitas camas.






quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

PEDIDOS PARA O ANO QUE VEM

Há mais de 25 anos não escrevo cartas ao Papai Noel. Mas todo ano preparo a famosa lista de desejos para o Ano Novo. Nunca sei a quem devo entregar. Talvez por isso aconteça tudo ao contrário! Esse ano resolvi postar online e torcer pra cair no "face" do anjo responsável.

Querido anjo dos projetos impossíveis,
Para o ano de 2014…

…EU QUERO:
- que meu filho cresça
- que minha bunda diminua
- que meu salário aumente
- que as contas fechem!

TAMBÉM QUERO:
- perder 13 quilos
- fazer muita música
- ouvir "mamãe"
- pedalar todo dia.

ACEITO DE BOM GRADO:
- uma casa nova
- duas pernas saradas
- seis acertos na mega sena
- 365 noites de sono...

Atenciosamente,
Alice Demier

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Mãe de bebê

Saudade de ouvir aquela música,
aquela que eu só lembro quando toca
e que me toca que só ela…

Saudade de compor alguma coisa
e de escrever sobre quase nada
quando quase tudo me inspirava

Cansada porque os dias ficaram mais longos
os banhos ficaram mais curtos
a vida mais aflita

Te carrego no colo
você chora, eu choro
te nino, te amo, te imploro

Virei mulher porque você existe
Perdi a cintura, perdi a postura, perdi a censura

Sou sua mãe
nos dias bons e nos dias ruins
em todos os meios que justificarem os fins
Agora e em qualquer tempo
ser mãe é meu melhor momento






quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

MALHAR NÃO É COISA PRA GENTE NORMAL!

Sou dessas mulheres que fazem unha, compram roupa nova, pintam o cabelo, mas não conseguem cuidar do físico. Sou avessa à academia, não consigo me enturmar com a galera da meia no joelho, não entendo pra que estou correndo, de quem nem pra onde.
Hoje fui tentar de novo! Há uma semana percebi, já que a minha balança não é da mesma fábrica do Espelho Espelho Meu, que estou ficando baranga.
Não to nem aí pro verão, se você quer saber. Esse ano pretendo passar a estação com muito ar condicionado e água fresca. Mas depois dos 30 anos, quando você percebe que os pneus estão fazendo parte do corpo, é melhor dar um jeito de se cuidar, mesmo pra ficar bem na camisola.
Primeiro tentei fechar a boca. Difícil. Mais fácil do que malhar, mas ainda assim, difícil.
Ontem jantei Diet Shake.
Repare que tudo o que eu contei até agora foi ontem, hoje, semana passada...
Pois é. Eu mal comecei e o desespero já me bateu.
Ontem fui fazer uma aula de ginástica localizada. Pra quem não sabe do que se trata, é aquela aula onde um monte de mulheres com roupas colantes coloridas fazem passos sincronizados ao som de uma música horrorosa, sempre guiadas por um personal empolgueitor.
Desisti na metade.
Hoje tive insônia. Acho que medo antecipado da dor muscular que, claro, foi a primeira a me dar BOM DIA!
Levantei cedo, fui ao mercado, cozinhei o almoço e ainda eram 9 e alguma coisa da manhã. Resolvi aparecer na aula de alongamento. "Essa não deve ser tão difícil" - pensei. Não foi mesmo. Entrei. Peguei o colchão. Deitei. Estiquei os braços. Pensei melhor. Levantei. Guardei o colchão e sai. Tudo bem rapidinho antes que as lágrimas descessem pelo meu rosto.
Juro que dá vontade de chorar!
Malhar não é coisa de Deus!
Não é normal.
Não é mesmo possível que alguém goste.
Vou tentar amanhã.
Na verdade vou tentar mais tarde. Às 18h tem aula de Jump. Estou preparando o psicológico para suportar ficar pulando durante 45 minutos numa mini cama elástica que custa 89,00 reais no mercado. Não é caro. Se eu quisesse pular numa mini cama elástica, tinha comprado uma pra mim!
Mas ainda é cedo pra desistir.
Cedo e caro. Já paguei o mês, só fui 5 dias, ainda faltam 25 antes de pular fora.
Por enquanto vou tentando. Eu, minhas meias na canela, minha roupa que não combina nem faz par com nenhum outro acessório, meu cabelo desgrenhado e minha completa falta de energia.
Mas prometo jantar Diet Shake hoje mais uma vez!
De um jeito ou de outro, a baranguice tem que ir embora!
Aaaahhhh, que saudade dos meus 20 anos.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Gente "interessante"

Meu modelo ranzinza voltou à tona! Acho que é um bom sinal. Normalmente quando as coisas vão bem eu acabo ficando com o sarcasmo na ponta da língua. É divertido olhar o mundo como se você não fizesse parte dele. De umas semanas pra cá dei pra implicar com gente que se acha interessante. Estão sempre antenados com o que há de novo no underground, conhecem bandas escocesas, citam referências o tempo todo, frequentam shows de música completamente entediantes, mas saem tecendo extensos elogios.
Gente interessante também curte poesia.
Eu curto poesia. É bonito. Se for bonita.
Eu até faço poesia, mas não sei nenhuma de cor, nem recito num sarau dando diferentes nuances interpretativas a cada verso.
Claro que tem muita coisa no submundo da arte que é boa. Eu diria até que são as melhores. Não me incomodo com elas. Ainda bem que elas existem! O que me faz rir são as pessoas que se preocupam demais em estar sempre por dentro do que quase todo mundo está por fora.
Normalmente elas formam uma tribo e usam termos como: "Incrível!"; "Amada"; "Genial". Eles sempre conhecem alguém famoso e citam um bocado esse fato. Algumas vezes as tribos tem um linguajar próprio, como a antiga língua do I, o uso de determinadas expressões repetidamente na mesma conversa, um sotaque ou um jeito de falar debochado, como se criassem personagens, esquecendo que já viraram um.
Todas as pessoas "interessantes" se abraçam muuuuuito quando se encontram. Quase sempre esse abraço é acompanhado de uns pulinhos. E todas sentem muita saudade uma das outras mesmo quando estão sem se ver há apenas uma semana.
Tem um tipo de gente interessante que gosta bastante de falar de si. Chegam num ambiente normalmente sem muito pudor, sentam no chão, cruzam as pernas de um jeito esquisito e daí na primeira oportunidade elas contam um caso próprio. Fazem isso para se usar como exemplo numa opinião sobre o assunto da roda. Mas 100% das vezes há um quê de bizarro, ousado ou erótico na história.
Gente "interessante" se despenca de casa pra almoçar na CADEG e ouvir chorinho. (Deus do céu, a CADEG é longe pra cacete. Por que alguém vai a Benfinca num domingo?!)
Gente "interessante" almoça duas vezes por mês em Santa Teresa (Ou, como eles diriam, em Santa.)
Gente "interessante" usa roupa interessante.
Gente "interessante" já viu mais de 3 filmes iranianos.
Gente "interessante" frequenta livraria. (Livraria é uma loja, gente! Você vai pra comprar. Passa ao lado, entra, dá uma olhada nas novidades, vê se algo te interessa, procura alguma coisa que anda buscando e vai embora. Você não volta amanhã só pra tomar um café. Para isso inventaram a cafeteria. Que aliás, também é lugar pra gente interessante já que cobra o triplo do preço pelo mesmo café que você toma na padaria.)

Gente "interessante" perde tempo demais tentando ser interessante e perde muita coisa boa da vida.
Gente "interessante" também é ranzinza. Só que, diferente de mim, eles não se divertem nada com isso!